Temos direito aos bens materiais


DuBEMEstamos encarnados ainda

Distante do entendimento equivocado no movimento tradicional, de que não devemos nos preocupar com coisas materiais, como se já vivêssemos em esferas evoluídas do mundo espiritual, apenas alimentados por fluídos, por estarmos conscientes de que estamos ainda encarnados na Terra, a DuBem vai trabalhar, sim, também no campo material, podendo auxiliar os seus associados a realizar desejos, deixando claro que isso não significa que vamos descuidar de nossos compromissos espirituais e que estamos pensando apenas em coisas materiais, como podem entender alguns.

Você gostaria de ter um televisor de LED de 50 polegadas, de primeira qualidade e em 3D, podendo ter muitos óculos em casa, para assistir programas, os mesmos usados no cinema, que são bem mais baratos que os óculos dos modelos 3D que estão nas lojas, cujo preço de um poderia comprar 10 do outro?

Pois bem: um televisor com características semelhantes, que está chegando ao mercado agora, custaria mais de 8 mil reais.
Que tal o nosso associado poder ter um deste por menos de 2 mil reais?

Não se trata de produtos contrabandeados, falsificados, roubados, usados, pirateados ou que estejam inseridos no campo de ilegalidade, da antiética e da imoralidade. A DuBem só trabalhará na legalidade, na ética e na moral, por princípio dos seus idealizadores e realizadores. O diferencial é que utilizará a inteligência.

O exemplo do televisor é apenas um, em um universo abrangente e ilimitado.

Quanto aos centros espíritas, cujas diretorias não possuam qualquer trauma em relação ao dinheiro, por serem lúcidas e saberem que qualquer casa espírita necessita de dinheiro para sua manutenção e existência, sem viver com o famoso “pires na mão”, a DuBem proporcionará um leque de opções para que saiam da carência em que muitos vivem, vítimas que são dos entendimentos equivocados reinantes em algumas cabeças.

Como exemplo, citamos apenas um: Todo centro espírita normalmente tem em sua livraria o “Evangelho, segundo o Espiritismo”, para venda.

No modelo de hoje, o livro para venda é adquirido de um distribuidor, que recebe da editora, estabelecendo-se os intermediários que terminam reduzindo a lucratividade do centro, no final. Repetimos aqui que a DuBem não faz o modelo traumatizado com dinheiro.

Como a DuBem operará neste item?

Partimos do princípio de que as livrarias dos centros espíritas normalmente compram sempre os livros em quantidade e não apenas por unidade. Embora respeitando o modelo existente, onde muitos livros continuarão a ser comprados das distribuidoras, planejaremos a impressão de uma grande edição de, por exemplo, “O Evangelho, segundo o Espiritismo” na gráfica que já está em parceria com a DuBem, que se localiza em São Paulo, que possui o maior parque gráfico do país e que por sua tecnologia e o tamanho proporciona preços imbatíveis, visando atender às casas espíritas associadas ao sistema. Consultaremos, previamente, quantos exemplares cada casa vai encomendar e produziremos a impressão conforme a demanda.

Supondo que tenhamos 1.000 centros espíritas associados (não temos a pretensão de ter os mais de 15 mil centros associados porque já sabemos o que muitas cabeças duras vão achar da nossa proposta) e que cada um encomende uma média de 20 exemplares, isto dará um volume de 20 mil livros, o que implica em preço baixo de produção.

Nós já temos tradução própria, de primeiríssima qualidade, de toda a obra básica do Espiritismo, inclusive “Óbras Póstumas” e “O que é o Espiritismo”.

Se o livro tiver custo gráfico de apenas R$ 2,50 e o seu preço de venda for de R$ 20,00, nós não o repassaremos ao centro espírita dando-lhe apenas os 30% de desconto, como é comum, com o centro ganhando apenas R$ 6,00 por cada exemplar vendido. Veja o que vai acontecer:

A DuBem acrescerá apenas, por exemplo, R$ 2,50 ao seu custo, por conta das suas despesas de produção e da necessidade dos recursos para divulgar a Doutrina, levando o preço para R$ 5,00 e por este valor passará aos centros espíritas associados.

Ao vender por R$ 20,00, vai ganhar R$ 15,00, que representa 75% do valor de venda e não apenas 30%.

Este é apenas um exemplo. Assim faremos com vários outros títulos de livros, CDs, DVDs, etc.